Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

#yôgafriday Yôga é quando nós quisermos!

Eu sei hoje não é sexta. 

Mas o Yôga é quando nós quisermos, há dias em que de manhã é óptimo para nos centrarmos. Outros em que ao final do dia vem mesmo a calhar para libertar todo o stress acumulado. 

Acima de tudo o Yôga é darmos ao nosso corpo e mente, o que ele precisa e quando precisa. 

 

Há alturas em que apetece mais treinar o equilíbrio e esquecer as posições de força... há outras em que apetece chegar e queimar todos os nossos limites, cada centímetro conquistado parece uma maratona corrida... imagino porque nunca corri nenhuma, nem tenciono. :)

Hoje é segunda, é feriado, eu trabalho... O Yôga ajuda a não ficar com mau humor... Levantar e fazer alguns exercícios de respiração simples, alguns de limpeza orgânica chamados de Kriyá... e toca a começar o dia... 

Acima de tudo pensar, o que posso fazer hoje para melhorar como pessoa? Para quebrar os meus limites? Para ir mais além neste caminho de consciência?

 

É fazer um exercício de análise interna e pensar como posso chegar mais longe?

Não ouvindo aquelas vozinhas irritantes que pedem os maus hábitos do passado? Parece-me bem... lá vai uma salada para o almoço. 

É falar com aquele amigo que sabemos precisar de apoio e estar lá para ele... também. 

É podermos acima de tudo estar para nós próprios como nos dedicamos também aos outros? Oh sim!

 

Há vários pensamentos sobre o Yôga que são errados e que quase toda a gente os verbaliza quando lhes dizemos que praticamos. 

Por exemplo... ah isso é muito calmo para mim e não se sua...

Só diz mesmo isto quem nunca fez uma aula de Yôga a sério... Se os exercícios de respiração forem bem feitos e os de limpeza orgânica é impossível não suar... ah e sim estamos sentados... mas a suar... Manter uma posição de força durante um tempo que parece interminável... ahahah suamos sim...

Se é calmo... bem não é que seja calmo mas é sereno... 
É estar ali em conjunto mas centrados também em nós, no que conseguimos fazer, até onde vamos desta vez, será que consigo aguentar esta posição de equilíbrio até ao fim? Ou esticar um bocadinho mais? 

 

O Yôga não é calmo mas sim, dá-nos serenidade. Abre-nos. A nós próprios e aos outros. A verdade é que nos torna uma pessoa melhor.

Esta posição serve exactamente para isso, abre-nos o peito, enche-nos de esperança e amor por nós e pelos outros... trabalha o chakra do coração. 

Não é fácil, temo que as posições bem feitas pareçam sempre fáceis, e até que nos dobramos para as tentar alcançar é que percebemos as dificuldades. Mas é linda. 

Bom Feriado a todos. 

Ah e finalmente descobri a artista destas ilustrações magníficas. Conhecam-na no nosso Instagram nas tags.E já agora sigam!

yoga.JPG

 

#yôgafriday Equilíbrio

Depois de pausa forçada por varicela... 

Quem é que aos 31 apanha isso? Quem?

 

Regressamos.... Esta semana cumpri o objectivo duas vezes lá fui para a minha terapia da alma o Yôga.

A vontade, o cansaço, os dias chatos, o sofá tudo isto me tirava a vontade mas fiz sempre o esforço e a verdade é que é nesses dias que sabe melhor.

Às segundas feiras já tenho aulas avançadas de Swasthya!

São as minhas preferidas, trabalhamos muito não só as ásanas (posições físicas) mas também os mudras, os pujas, os mantras... Tenho que fazer um post só a explicar cada uma das partes... Mas é uma aula que nos vira mais para dentro... O que ajuda a interiorizar melhor os efeitos da prática.

 

Quinta feira é aula de iniciantes é bom quando temos amigos que gostam de fazer o que nós adoramos... Por isso faço a aula de iniciantes com a minha Sururu, que ontem não pôde ir... Mas eu lá fui.

Esta aula mais virada para a parte física é uma aula para preparar o corpo para as aulas mais avançadas. Eu acho que é um bom complemento para as de segunda saio sempre com o corpo revigorado e muito mais tonificado do que entrou... 

 

O equilíbrio entra nas duas vertentes... Equilíbrio em posições que se mantém durante um bocadinho... Ontem consegui manter uma durante a totalidade do tempo pretendido... Pela primeira vez.

Desconcentrei me e as outras saíram mais ou menos... 

 

A posição de hoje é simples, mas tentem manter durante dois minutos e aí chega o desafio... Muscular, psicológico, de concentração... 

 

Mas o equilíbrio é fundamental para o nosso corpo e mente... Por isso é trabalhar muito nele! 

 

Boa sexta feira! 

 

caa93586d72e94f279a251823c62caa2.jpg

 

A falta de iluminação...

Terça feira foi um dia em que se fecharam muitas janelas incómodas abertas. 

Por um lado fiquei livre de algo que me pesava nos ombros há muito tempo, por outro despachei algo que tínhamos de fazer e com o qual já não tenho que me preocupar...

Feriado foi dia de trabalho... Mas terminou bem com festa de anos daqueles amigos do coração. 

 

O trabalho, os fim-de-semanas com planos e eventos importantes, têm roubado todo o nosso tempo livre, fica difícil assim sequer ter vontade de falar do que se passa no mundo. 

 

Sei que tenho procurado olhar para dentro e preocupar-me e resguardar-me um pouco mais. 

Redes sociais quase não tenho usado, mas o pinterest continua a ser o meu espacinho de alegria e o meu refúgio de inspiração, neste momento está repleto de posições de Yôga lindíssimas, citações positivas e coisas bonitas... É para ali que fujo quando os dias ficam cinzento mas até o sol tem saído para ajudar. 

 

Olhar para nós e deixar-nos ser quem somos não é fácil... não com a pressão da sociedade actual, acredito que muita gente anda por aí sem fazer ideia de que é realmente... na sua essência...

No entanto quando começamos a trilhar esse caminho, nem tudo é simples e bonito, há pedras a resolver, que têm de sair da nossa mochila da nossa alma, do nosso eu... para nos deixar brilhar em toda a plenitude...

Às vezes não queremos enfrentar aquele dark place onde essas pedras se acumulam mas quando vamos lá ao fundo e as tiramos de lá, a leveza... o alivio que vem daí é recompensador. 

Muitos de nós vão acumulando, vão engolindo, vão aumentando esse dark place... E aí as doenças mentais manifestam-se...

Se não lidamos com as pedras conscientes o corpo começa a mandar sinais físicos de que algo não está bem... Ansiedades, depressões... 

As doenças da nossa geração. 

 

Iluminem-se a vocês próprio, procurem ajuda se precisarem, mas deixem a vossa essência brilhar. Somos todos importantes, todos gloriosos...

 

 

 

#yôgafriday Meditar

O meu Yôga não é um Yôga qualquer...

É constituido por 8 fases em que apenas uma delas são as posições físicas. 

O resto passa por respirações, mentalizações, mantras... 

 

Há dias em que o que nos beneficia mais corpo e mente não são as posições... É a meditação, é o entrarmos dentro de nós e começarmos a resolver aquelas pedras que carregamos connosco. 

É parar, respirar, e deixa o corpo fazer isto da forma mais simples e natural possível, enquando meditamos, enquando nos focamos e centramos dentro de nós... 

As ásanas, posições físicas, são um oitavo da nossa prática, são aquelas que ajudam o corpo a libertar as tensões, o stress a curar as feridas, mas tudo isto vindo do interior de nós. 

 

Um Yôga feito apenas pelas posições físicas, não será um Yôga completo... Não irá ajudar no melhor benefício que o Yôga nos dá, o trabalhar o nosso eu. 

É uma boa actividade física, é um bom exercicio para os musculos... mas nao passa disso... o Yôga é muito mais do que isso... é uma cultura é um estilo de vida...

Sem religião que o prenda a conceitos pré-designados mas uma cultura.

Quem o pratica deve acima de tudo procurar ser a mudança que quer ver nos outros, no civismo, nas boas práticas, na boa educação... na postura e não falo na física. 

 

Se pensarem em fazer Yôga façam-no na sua plenitude e não apenas pela parte física... Caso contrário é como ter um ferrari e andar a 20km.

 

 

Liberdade para todos nós.

Normalmente vejo um filme e apaixono-me pela banda sonora, neste caso foi o contrário... Ainda não vi o filme mas a banda sonora já me conquistou. 

Tem estado em replay no spotify e continuará creio... 

 

Hoje é o nosso Dia da Liberdade, mas há tantos de nós que continuam presos, nas convenções sociais, pelas mente pequenas de quem convivem, pelo racismo, pelas ideias que se concebem sem sequer sabermos quem realmente é a pessoa. 

 

Celebramos hoje o dia da Liberdade do nosso país, mas quantos de nós continuam presos, sem voz... Com medo de mostrarem quem realmente são... 

Ou sem possibilidade de o fazer. 

Que a liberdade seja sempre o nosso bem mais precioso... e que nunca seja levianamente desconsiderada.

E que seja justa e para todos nós, não apenas para alguns que têm a sorte de ao nascer o fazerem num país em que ela já está instituída...

Hoje pensemos também naqueles que não têm esse privilégio. Nas mulheres e homens, que não a têm porque o seu país está em guerras políticas e religiosas... Por aqueles que por serem diferentes são discriminados pela sociedade ao fazerem as coisas mais simples...

Por aquele ou aquela que seja pelo motivo que for não pode dizer o que pensa, o que sente porque essa liberdade não existe... 

E que esta música vos inspire...

A serem a melhor versão de vocês,  mas a mais real! Com as dores, com as marcas de tudo o que constrói a vossa individualidade...

 

 

2 anos da nossa Home Sweet Home ❤

O blog já tem mais tempo, aliás vai fazer este ano em julho 4 anos... oh meus deus... não fazia ideia que tinha passado tanto tempo. 

 

Ontem foi a Páscoa, uma das minhas festividades preferidas. É sempre altura para balanços, agradecimentos... por isso este post vai ser nessa linha... 

Acabou por ser em nossa casinha, com os nossos pais, avós, cunhadas... 


Comeu-se muito, falou-se muito, acima de tudo sentia-se aquele calorzinho não do sol que brilhava lá fora mas daquele amor que só a família consegue transmitir. 

E assim descobrimos que às vezes o que precisamos é apenas de estar juntos para que isso se sinta, sem grandes enfeites, sem grandes motivos... Estar juntos é sempre o suficiente. 

 

Estou com uma overdose de comida, o meu cérebro até lento está... 

Mas é pela fresquinha que se começa o dia e quando mais nos entregamos à preguiça pior. 

 

Já comecei em full force na preparação da viagem a Roma além dos voos e da casa, já sei os monumentos e os sítios onde iremos, eu e a as minhas duas mães. Sou uma sortuda... 5 dias a comer o melhor do mundo, rodeada das coisas mais bonitas e interessantes deste universo... Estou em pulgas... Em novembro lá iremos. 

Ando já a pensar também nas férias de verão... que já estão organizadas e este ano se esperam tão boas ou melhores que as do ano passado. 

 

E assim vamos passando os dias por aqui, com muito trabalho que nos deixa cansados aos dois, mas a agradecer muito o que temos e o que nos rodeia, a agradecer muito termo-nos um ao outro para nos apoiarmos e vivermos.

 

No sábado fez 2 anos que vivemos juntos, como é possível? Ainda me lembro de criar o blog como forma de organizar os meus pirolitos sobre esse objectivo e essa mudança...

Agora faz dois anos que já cá estamos, houve zangas (muito poucas comparadas com as que tínhamos em mente), houve momentos mais complicados ou pelo cansaço ou pelo stress ou pela doença, houve momento mágicos e muito bons...

O balanço é sem dúvida positivo, e para mim e para o Pim isso é o mais importante. 

Dois anos... ainda estou incrédula... acima de tudo estamos inteirinhos e não nos matámos um ao outro. SUCESSO. 

 

O Yôga tem ocupado grande parte da minha vida fora do trabalho, como já viram claro. Fora isso procura estar com aqueles que amamos, seja família de sangue ou de coração...

A fotografia tem roubado algumas tardes, nenhum sítio que vá, vou sem máquina... 

E é bom descobrir um mundo novo cheio de cores diferentes e pequenos momentos que ficam ali retratados para sempre. 


Por aí que contam?

 

 

E se tivesse sido o fim dos combustiveis fosseis?

Lá veio a notícia mais esperada, o final da greve dos transportadores de matérias perigosas... Dentro de uns dias tudo deve ficar normalizado e resolvido mas... e se tivesse durado um pouco mais?

 

Não estou a dizer que deveria ter durado mais, ou que aqueles srs têm ou não razão, mas num mundo que cada vez mais se assume como modernizado e com uso de energias alternativas vi ali muito pânico no que respeita aos combustíveis fosséis...

Seremos assim tão dependentes deles? A comunicação social empolou de tal modo a coisa que tudo pareceu pior e as 7h que algumas pessoas ficaram na fila para abasstecer foram em vão?

Há pessoas que simplesmente queriam ter o carro atestado, havia pessoas que iam de férias de páscoa e cujo cenário foi verdadeiramente negro...

 

Mas e se isto tivesse durado mais?

E se estendesse ao abastecimento dos supermercados? 7 horas para combustível? Nem quero imaginar para comida...

Se projectarmos isto para um cenário de escala global percebemos que o ser humano está tão agarrado à comodidade dos combustíveis fosséis como um bebé à sua chupeta preferida. 

Os transportes públicos, uma anedota, a suprimirem autocarros, relembro que são daqueles de 30 anos que só andam com este combustível só a Carris tem uma frota de gás e electricos mais expansiva... As outras começaram a suprimir autocarros.

Ou seja ir de transportes para o trabalho dependendo de qual fosse foi o inferno.

 

E se isto tivesse sido mais tempo? Quando os autocarros já não tivesses combustivel? Não iamos trabalhar?

Parávamos de fazer a nossa vida?

Cada dia é mais importante pensar em energias alternativas, em medidas que apoiem os carros electricos... Em medidas que nos preparem para o inevitável... O fim dos combustiveis fosseis, esta foi só uma greve mas que um dia acaba... acaba!

 

95027ea20d54b640174df9c452133e99.jpg

 

#yôgafriday paz e graciosidade

Paz e graciosidade são sem dúvida características que quem pratica Yôga deve ter...

Isso permite que tenhamos atitudes mais ponderadas, sejamos mais compreensivos e mais flexíveis não só no corpo mas também na mente.

 

Esta posição é simples mas sabe tão bem, durante aqueles minutos és só tu, a libertar pressão nas costas, a alongar e respirar...

Faz nos realmente bem! Ao libertar pressão libertamos também aqueles probleminhas acumulados durante o dia, semana, mês às vezes anos...tirar essa bagagem de dentro de nós é libertador... 

E ficamos sem necessidade de gerar aqueles conflitos para liberar stress  falar da vizinha, do colega .. Ficamos melhores pessoas ..... 

 

Assim damos espaço a coisas novas e boas e positivas. 

 

Bom fim de semana a todos ... Tentem libertar os stresses da semana..

 

66c066432c41e5395cb591abe975778a.jpg

#Yôgafriday e novas conquistas

Bom dia e é dia de mais uma sexta-feira de Yôga.

Para quem acompanha o nosso Facebook e Instagram certamente repararam em algumas novidades. Já agora passem por lá e deixem um seguir ou um gosto :)

 

Essencialmente consegui conquistar o nível de Sádhaka.

Sádhaka é um termo sânscrito* que significa praticante e por possuirem a insígnia de cor amarela.
Esse grau ainda é considerado um estágio inicial, mas nesse ponto o aluno deixa de ser um aspirante e passa, efetivamente, a ser um portador da filosofia milenar, já com domínio mínimo de conhecimento técnico e filosófico.

Vai haver cerimónia na escola e vou receber a tal insignia :) vai ser um momento marcante.

Estou feliz... trabalhei e esforcei-me para conseguir e está conseguido agora é continuar a evoluir. 

 

Esta semana trago-vos uma posição que requer tudo de nós, a força para aguentar em permanência, o equilíbrio, o manter uma respiração correta para aguentar tudo no lugar. 

Faz-me lembrar sempre a postura que devemos ter na vida, a força para enfrentarmos as nossas lições, o equilibrio para nunca nos comportármos de força repreensiva e a respiração para que estejamos sempre concentrados e focados nos nossos objectivos e não em coisas fúteis e que nao fazem parte dos nossos valores. 

É bom atingir um estado de inspiração, em que o que nos fazemos nos deixa felizes e satisfeitos connosco próprios. 

É bom sentir que estamos a evoluir e como já disse o Yôga ajuda essencialmente nisso, a sermos a melhor versão de nós mesmos. 

 

Quem por aí já experimentou Yôga? Ou quer experimentar?

Estavam interessadas num sorteio aqui no blog?

 

 

#yôgafriday Finalmente...

Ainda na sequência da semana passada, as invertidas sobre a cabeça são sem dúvida das posições que tentamos alcançar pela beleza que têm e o desafio que são.

 

Comecei a fazer Yôga há 7 meses, e eu sabia que esta imagem só a iria colocar aqui quando conseguisse fazer esta invertida também. E ontem, ontem foi o dia. 

A invertida sobre a cabeça é o comum "pino de cabeça" mas feito sem impulso para a subida e suavemente e era a posição que representava, para mim, um desafio acrescido. Quando era pequena fazia acrobática, eu fazia pinos de toda a maneira e feitio, este não gostava... Agora 20 anos mais tarde tinha medo... Medo de não aguentar com o meu peso, torcer o pescoço, desiquilibrar-me... É engraçado como depois de ultrapassarmos os medos eles se tornam tão mais claros. 

 

Terça-feira movida de uma coragem que não sei bem de onde veio mas motivada pela minha professora e uma conversa que tínhamos tido... lá fui para o quarto treinar... tapete de Yôga no chão virada para a parede, não fosse desiquilibrar-me e de repente a conquista... até chamei o Pim para confirmar não fosse eu estar a sonhar e agora todos os dias é treinar um bocadinho e aperfeiçoar... 

 

Colocar hoje esta imagem aqui é um momento épico, trabalhei 7 meses para a atingir e consegui... E agora é trabalhar para conquistar mais posições técnicas e corporais e aperfeiçoar-me, de corpo, coração e mente. 

Desistir não faz parte do vocabulário, há dias em que a vontade não abunda, em que o stress nos contamina e nos tira a vontade de fazer o melhor para nós... Mas é persistir e insistir. 

Esta viagem no Yôga é sem dúvida uma viagem muito mais interior... Mas é um bela viagem....

O método que tenho seguido contribui em muito para que pela primeira vez, mantivesse uma rotina de exercício físico por mais do que apenas algumas semanas. Mas vai muito mais além, é o desenvolvimento pessoal, a auto confiança e o desafio pessoal de evoluir em todos os aspectos de mim mesma. Em Setembro faço um ano que há pratico e tenciono fazer durante toda a minha vida.

 

A escola onde faço e a minha professora também... A inspiração que ela nos passa é tão necessária como o conhecimento teórico que recebemos e orientação física. 

Obrigada querida Lisete. 

Recomendo para quem é da zona de Lisboa/Amadora/Odivelas este espaço, não poderiam ficar melhor servidos, Espaço Swásthya Yôga Trigache
Se quiserem espreitar a página do Facebook é aqui

 

O bom deve ser partilhado e um bom método é fundamental para alcançar os nossos objectivos. Existem vários mas para mais detalhes já escrevi aqui sobre ele.

 

Mas os benefícios estão sem dúvida presentes e os efeitos para quem pratica começam a ser sentidos rapidamente. As invertidas por exemplo melhoram o desempenho das funções cerebrais e contribuem para usar os 90% que estão latentes na maioria de nós porque  hirperoxigenam o cérebro dando uma melhor rentabilidade às células cerebrais.

 

e37db14068eeb6ad150291d74f0fb0ae.jpg