Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

Home Sweet Home

Este blog é o nosso reflexo. Conheçam as nossas aventuras, os nossos projectos, conheçam-nos a nós.

Brexit.. O fim do mundo como o conhecemos

Tenho me queixado que nos últimos 2 anos tudo o que improvável acontecer em mercados tem efectivamente acontecido. 

 

Embora a GBP tenha nos últimos dias dado ares de que a resposta seria um não. Essa não foi a realidade. 

 

Deparamo-nos agora com o fim da união europeia como a conhecíamos, as implicações imediatas, quando os mercados abrirem será o caos, planos de contigência activos, desvalorização da moeda,  subida do ouro, quedas na ordem dos 7/10% para as principais bolsas mundiais... 

 

No medio longo prazo? Só depois saberemos, será a reconstrução de uma união europeia nova? Sem o UK apenas? Ou sem outros países patinhos feios? Conseguia o reino unido superar como centro financeiro mundial? 

 

Estaremos cá para ver.. Até lá... 

Adaptar... É a palavra chave! 

 

image.png

 

Quando o Europeu faz parar um país...

Acho que o patriotismo não se mede pelo meu apoio à selecção nacional de futebol e pelo meu acompanhamento ou não ao campeonato europeu de futebol.... nós somos muito mais.

Começamos a limitar a nossa mente quando.... uma junta de freguesia dá tolerância de ponto a partir das 15h quando o jogo é as 17h...

Quando o país pára para poder ver o jogo... 

Se fosse uma meia final ou uma final eu até entendia... mas agora em fase de apuramentos...

Acho uma parvoice dar-se tolerância de ponto por isso. 

 

Se isto faz de mim menos portuguesa? Não.

Se sou menos porque escolho não ver os jogos? Não. (a liberdade é uma coisa fantástica!)

Se sou menos do que aquelas pessoas que começam os jogos de mão ao peito a cantar o hino e a mostrar todo o amor pela selecção e que os terminam a mandar os jogadores para todos os sítios e mais alguns... a chamá-los de toda uma infinidade de coisas que não são adjectivos positivos. NÃO!

Até prefiro sinceramente a ver essas figuras...

E as revoltas no facebook depois dos jogos. 


Eu sou portuguesa e com muito orgulho, independentemente de acompanhar o europeu ou não... 

 

GOT Batalha dos Bastardos... sim claro que tem spoilers.

 

Sim raramente mencionei aqui esta série...

Se muita gente irá falar disto hoje... provavelmente.

Mas esta série é um bocadinho minha também, corria o ano de 2011 quando vi a primeira season e na primeira pausa entre séries devorei todos os livros escritos até então. 

Quando começou a ganhar visibilidade já eu conhecia as personagens de trás para a frente, a história, o enredo, ainda ia o pessoal naquele sentimento inicial de lealdade a uma das casas quando eu já tinha perspectiva (que se ganha muito melhor nos livros) que ali ninguém é inocente, que em algum ponto da história todas as casas fizeram algo terrível a quem não o deviam ter feito e que isso é o que torna tudo mais interessante. 

 

O ano passado o desgraçado do autor não entregou o novo livro para impressão a tempo e eu, que até então tinha assistido às séries com aqueles desdém, ah eu percebo mais disto e sei o que acontece em traços gerais... mesmo tendo a série sofrido alterações gigantes.... este ano deparei-me com um nervosismo que desconhecia até então... nervosismo esse que conheceu o seu apogeu ontem. 

 

Que episódio... o meu coração não ia sobrevivendo, começa bem... daenerys trata do assunto arruma os esclavagistas e ainda dá espetáculo como os dragões mereciam à muito....

Enrola um bocadinho no meio... mas já sabemos se há batalha os ultimos 20 minutos do episódio são dedicados à mesma. 

A morte do mano stark... snif... mas a sansa tinha razão.. ele nunca iria sobreviver... 

Aquele momento em que pensamos FOI-SE! AQUELES DESGRAÇADOS VÃO MATAR O SNOW AGAIN!!! porque pensamos isto não pode ser tudo bom para nós, se a daenerys correu bem alguém vai morrer agora... 

E o final... aquela réstia de esperança, ok ou eles vão destruir todos os nossos sonhos e traumatizar-nos ou então até pode acabar bem... mas deve morrer alguem importante na mesma...
E a confirmação!

Pela primeira vez na vida, um episodio em que tudo correu bem... tudo acabou bem... até para aquele monstro bastardo.

 

Em suma... vou estar a contorcer-me para o próximo episódio e depois vai ser uma longaaaaaa espera!

Kindness... ❤

Terminei o programa anti-stress do Headspace anteontem. 

Tinha visto que existiam novos programas com focos em diferentes temas e um deles seria o Kindness. 

 

Ontem fiz a primeira sessão e pumba... levei logo com um conceito que me deixou a pensar. 

Segundo o Mr Andy, isto é algo que nos é inacto mas que tende a ser obscurecido pela azáfama dos nossos dias, pelo stress, por outros pensamentos e prioridades, ficando para trás e esquecida. Concordo.

Que para cultivarmos este sentimento de bondade para com outros, em primeiro lugar teremos de o fazer para connosco, sim sim, para nós próprios... e aí ui... a ficha caiu. 

 

Só nos últimos meses tenho dedicado mais tempo a mim mesma, as coisas que gosto, mas os sentimentos que tendencialmente associo à ansiedade puxam para coisas negativas em relação a mim mesma. 

Acho que este programa me vai ajudar a dar mais um passinho, a ajudar-me a ser melhor para comigo mesma, e melhor para com todos os que me rodeiam. 

 

O foco é esse... e a brincar a brincar vai fazer um ano que comecei com a meditação. E os efeitos, esses não deixam margem para dúvidas, é para continuar. 

 

 

 

Detesto estes dias...

Não por ser terça-feira com sabor a segunda. 

Não porque dormi mal e acordei com vontade de me tapar com o lençol e dizer ao mundo "não estou cá".

Não porque sabia que iria ter, tive, ainda estou a ter, e vai terminar tarde um dia de trabalho complicado. 

 

Mas sim porque além disto tudo, o meu cérebro está em modo de linchamento a mim própria.

Quem lida com a ansiedade sabe o que são dias destes, dias de merda, dias em que tudo o que fazemos vem aquela vozinha dizer que está mal feito, nunca vai ter sucesso, é uma porcaria, que eu sou uma porcaria... enfim... aquela espiral descendente do desraciocinio...

aquele bichinho que normalmente ocupa 1% da minha mente e que hoje engordou e está a 50%...

 

E depois é sempre naqueles momentos que não esperamos, tive um optimo fim de semana prolongado, fartei-me de ver paisagens bonitas, ontem tive a oportunidade de ficar em casa a descansar sozinha (talvez seja esse o problema e a origem)... que puff inverte o meu mundo e passo a estar na mó de baixo.

 

É focar no bom, com calma, respirar fundo e dar-me tempo, não exigir tanto de mim... as coisas acontecem porque acontecem, é tentar deixar passar as nuvens e focar no céu azul.

Ele existe está lá eu sei... mas neste momento o céu está nublado lá fora, no 11º Andar das Amoreiras, e na minha mente ainda pior está... É esperar que ele passe e focar no céu azul!

 

 

 

 

Crónicas do 83...

Começa os dias de calor, o tempo quente chegas e trás consigo a vontade a pessoa, coisas frescas, apanhar sol, parar ainda mais, mas infelizmente para nossas pessoas acentua gravemente a necessidade de banhos em falta! 

 

É horrendo ir no autocarro levar qual estalada chicotada de mau cheiro... Daqueles que parece que vem do rego do bum bum de um demónio! 

Pior é quando essa pessoa obviamente sem qualquer sentido de olfacto se agarra no autocarro de braços abertos como se a anunciar, experimentem este cheirinho vindo dps confins da terra só  para vocês! Cada vez que a dita pessoa abana a t-shirt com o calor ou ao mínimo movimento é imaginarem se e  sentirem se claro ondas verdes de mau cheiro! 

 

É muito mau se da  próxima vez que as portas abrirem o atirar lá para fora e ao cheiro também? 

Lembra-se deste menino?

 

702x621xBlackview-Ultra-Plus-Test.jpg.pagespeed.ic

 

gizguide-blackview-ultra-plus.png

 

Já está disponível no HOMESHOME.PT 

 

Sou uma consumidora muito racional, compro depois de analisar a relação preço/qualidade e de me certificar que o preço do produto, comparando com produtos da mesma categoria, me é interessante e me dá vantagens.

 

Não sou cega no entanto, e o design da Apple é de encantar até um cego, mas não gosto do sistema IOS prefiro mil vezes o sistema Android, e detesto odeio de morte o preço.

Por isso comecei por procurar uma telemóvel que pudesse combinar as três coisas principais para mim num equipamente deste género, design (ninguém quer andar com uma coisa horrivel), especificações de sistema (características técnicas são importantes para garantir que ele não se vai arrastar ou que o ecrã não presta) e preço!

O Ultra Plus é top dos tops nesta combinação.

Disponível em várias cores cada uma delas mais bonita que a outra. Sou fã do Rose Gold, mas o Dourado também me faz sonhar!

 

Ecrã de 5.5" 1280 x 720p HD com vidro 2.5D

Processador MTK6735 Quad Core

2GB de RAM e 16GB de memória interna expansíveis por mais 32GB

Bateria de 3180mAh

Câmara para selfies de 5MP e

Câmara traseira Sony IM164 de 13MP

 4G e dual SIM

Android 5.1

 

Pode ser todo vosso encomenda na nossa loja online ou por mensagem e pelo valor de 179€, sem paragens em alfândega.

Apaixonem-se!

 

 

116qomq.jpg

 

061112318571.jpg

 

gopego_blackview-ultraPLUS_01.jpg

 

gopego_blackview-ultraPLUS_02.jpg

 

IMG_9920.jpg

 

 

4ª feira sem filtros

Hoje dou inicio a esta rubrica.

Há alturas em que nos apetece dizer tanta coisa mas as convenções sociais não o permitem, ou os filtros sociais activam e lá se vai a coragem. As quarta-feiras serão o dia de deixar cair tudo isso e expor a nu a minha opinião e desabafo. 

 

Hoje um tema que certamente atinge mulheres com idades entre os 25/35 (pelo menos!). Não há uma semana que passe sem ouvir as seguintes frases:

 

- ah então quando és tu? - no contexto de casal x vai ser pai, ou casal x está à espera de bebé...

 

- Vocês já estava na hora também? - sim namoro há 10 anos, mas isso não quer dizer que queira começar já  a ter filhos... tenho esse direito ou não? talvez não. isso implica que quem namorada há menos tempo tem menos direito? e quem namora a mais está atrasado?

 

- então quando vem o bebé? - virá quando eu e o carl acharmos o momento certo para nós... não quando outras pessoas o dicidirem que o é...

 

- quero ser avô/avó (esta vem em duplicado do lado dos meus pais e do lado dos pais do carl) - pronto... já nem digo nada, normalmente pego no argumento ah e tal pagas tu as despesas? já não criaste uma? ou um? alguém te disse quando o fazer? então pronto.... 

 

- ah pois já estas a chegar a idade limite - esta deixa-me mesmo assustada, não por me estar a aproximar de uma qualquer barreira invisível que agradeço que me mostrem mas porque meus senhores/as tenho 28 anos!!!

 

Eu e o Carl gostamos muito de namorar, das nossas manhãs de ronha, do nosso mundo como está! Só corrigia uma coisa que é ter o nosso espaço, mas isso também chegará e já esteve mais longe. 

Gostamos de fazer as coisas com tempo e calma, ponderar no que tem que ser ponderado, demorámos 4 meses a escolher um carro!!!

Vai demorar uns bons meses entre amadurecer ideia de ser pais e concretizar. E se há coisa que sei que quero fazer, ou aliás não fazer é contar seja a quem for que estamos sequer a tentar. 

Depois começa o rol infinito de ah e então? já está? foi este mês? e isso ao casal não pode fazer bem.

 

Além das condições que considero essenciais para ter um filho, materiais sim... há muito além disso, solidificar a nossa relação em vigas de betão, ferro armado, cimento, tudo e mais alguma coisa, um filho muda muita coisa e eu quero que esse momento abale o menos possível o que temos. 

Não não sou mãe, mas tenho noção do que é ser, tenho pelo menos 3 casais que me são muitoooo próximos com filhos, em diferentes fases, e todos eles passaram por um bocado menos bom, acho que quem disser o contrário mente. 

 

A falta de sono, de disponibilidade, de tempo, de paciência, a dedicação que aquele pequeno ser nos exige muda a forma como gerimos a nossa vida e a nossa relação. 

O tempo que agora tenho para mim e para o carl teria de ser dividido para carl e bebe, ellie e bebe, ellie carl e bebe, e finalmente ellie e carl.

E se não estiver preparada para me dividir ou o carl com esse pequenino ser?

Tenho esse direito, a querer namorar a querer estar com a minha alma gémea...

 

Já vejo os argumentos a aparecer, ah mas o amor de filhos esse sim é verdadeiro, ou esse é o mais importante, certamente para mim também será, mas.... 

Tenho tempo para ele. 

E não é a sociedade, as pressões sociais que uma mulher sofre diariamente que me vão fazer trocar de ideias.

 

The Crown

 

Quem acompanha o blog sabe que sou louca por estes livros...

Começou com a Trilogia The Selection, agora com o The Heir e o The Crown. 


Adorei a história linda de amor da America Singer e do Maxon, adorei todo o cenário que a Kiera Cass criou, todo o mundo de Angeles.  

 

Se gostei do The Crown...

Bem gostei até ao capitulo 25. Aliás para mim o livro morreu aí e na minha cabeça os restantes 10 capitulos nao existiram e substitui o final pelo meu final alternativo, e acabou a conversa!

 

Adorei o desenvolvimento que ela deu à personagem Eadlyn, adorei o facto de a vermos crescer tanto neste livro, detestei que a escritora achasse que tinha que provar alguma coisa a alguem e ter ido numa linha completamente diferente da que alimentou em todo o livro só para provar que consegue surpreender. 

E agora infelizmente acho que é o final definitivo da familia Schreave e que este será o último livro da autora sobre eles, e vou sentir saudades... muitas mesmo. 


Basta-me viver no pinterest à procura de fan art, porque nem jeito tenho para recriar os cenários que construi na minha imaginação. 


Tinha sido simpático um final diferente, tinha... mas na minha cabeça o final perfeito está lá. 

 

  • Pág. 1/2